30 julho, 2007

As asneiras do Público

Cada vez mais me parece que o Público é escrito com os pés. Não há dia sem asneira, umas mais importantes, outras menos. Nas menos importantes, quase uma picuinha, noto hoje que, na inconcebível página Pessoas, se escreve que, na exposição do casamento de Isabel II, se exibe o uniforme que o noivo usou, de almirante da Royal Navy. Eu não exijo que o jornalista saiba de cor que, nessa altura, Philip Mountbatten era um modesto 1º tenente e que foi este o uniforme que usou. Basta ir à net ver as fotografias. Em vez disto, porquê inventar, só porque talvez se tenha pensado, parolamente, que o marido da rainha (que ainda nem era rainha) tinha de ser almirante.

Noutra notícia, sobre a esclerose múltipla (aliás tradicionalmente designada, na medicina portuguesa, como esclerose em placas e não esclerose múltipla, tradução literal do inglês) escreve-se, por duas vezes que Zeca Afonso foi vítima desta doença. Não é verdade, foi de esclerose lateral amiotrófica, uma doença completamente diferente.

É claro que os jornalistas não podem ser enciclopédicos. Mas o que se lhes pode exigir é que, humanamente, tenham dúvidas e achem que se podem enganar, o que justifica irem confirmar uma informação um pouco menos corrente.

5 comentários:

JVC disse...

Estava eu a comentar isto com a minha mulher e um jovem que anda cá por casa só apanhou uma frase parcial e traiçoeira, "Zeca Afonso morreu com esclerose em placas". Resposta pronta. "Estás enganado, foi com esclerose lateral amiotrófica, a doença do Lou Gehrig".

Porque é que o rapaz não vai para jornalista, em vez de engenheiro informático que se prepara para ser?

E desculpem lá esta conversa. Só quem não é pai é que não percebe algumas babadices. O que espero é que ele não leia isto, senão muito terei de ouvir.

Jorge P. disse...

Olhe que eu conheço muito chefe e director de serviço de Neurologia (and other PhD alike) que diz "Esclerose Múltipla", o que de resto até faz algum sentido...

Cumprimentos,
JP

JVC disse...

jorge p, não disse que era erro. Eu próprio também o digo muitas vezes. foi só um pormenor de "erudição" a que nunca resisto ;-)

José N. Azevedo disse...

A propósito de aportuguesamentos do inglês, lamento que tenha pegado a moda das células "estaminais" em vez de células-mãe ou células primordiais ou outra designação qualquer que não faça pensar que estamos a fala de botânica...

O Raio disse...

Uma das características deste maravilhoso século XXI é a completa incapacidade dos jornalistas.

É que já não existem jornalistas como antigamente, um jornalista do século XXI é alguém que sabe lêr e escrever e que utiliza este know how técnico para passar para o público os recados que o patrão da empresa de Comunicação Social onde trabalha quer que o público leia, ouça ou veja.