25 outubro, 2008

Literatura pimba

Não sou masoquista e julgo ter bom gosto, nunca li nada de Margarida Rebelo de Andrade, juro. No entanto, vivo no meu mundo real e não deixo de "valorizar", se calhar de invejar, quem é capaz de aproveitar bem o pimbismo nacional. E nem é só nacional, porque dizem os entendidos que Paulo Coelho é o escritor mais lido em todo o mundo.

Nada de mal se esta gente se situar honestamente na sua vida "intelectual". Diferente é o caso de José Rodrigues dos Santos, escritor pimba medíocre (se é que isto não é pleonasmo) que numa entrevista recente (lamento não ter a referência) se permite comparações com Saramago e Lobo Antunes, com base no volume de vendas e até com entrelinhas sobre aspirações a um Nobel. Até onde pode ir o delírio desta "sociedade de sucesso"!

O menino ficou famoso por uma prodigiosa imaginação para cenas eróticas estranhas. Se não fosse o sucesso literário, também o teria na "Maria". Num "romance" anterior, imaginou uma cena amorosa que começa por um jantar de sopa de peixe aromatizada com leite da menina (nem sempre funcionará, é preciso que ela esteja lactente, coisa difícil de compatibilizar com uma cena erótica).

Neste último livro, de há dias, vai a supremos, não posso deixar de experimentar um dia destes, se conseguir arranjar uma parceira disponível para coisa tão estranha. É uma cena de amor num curral, em que "os gemidos de Amélia misturam-se [sic, em vez do correcto "se misturam"] com os grunhidos dos porcos." Pode haver coisa mais eroticamente excitante? Já estou cá com uma pica...

Cada um tem o escritor que merece.

P. S. (por chamada de atenção, 18:59) - Garanto que um meu erro acima não é truque, trocar Pinto por Andrade. É mesmo sinal da importância que a senhora tem para mim.

1 comentário:

popelina disse...

Haha, excelente! Estou inteiramente de acordo, mas é um panorama desolador. Toda a oferta cultural de "massas", ou pela menos a maioria desta, pauta-se por uma confrangedora mediocridade.